sexta-feira, 1 de agosto de 2014

DEUS E EU

(imagem christianspot.com)
Tenho um amigo que anda às turras com Deus. “Não acredito mais”, disse-me ele, “Faz anos que rezo e não saí da crise. Vejo gente sem fé se dando muito bem na vida.” “Por que você não consulta um economista, um psicólogo ou uma cartomante?”, eu lhe sugeri. “Economistas falam economês, psicólogas são boas na hora de arranjar emprego e cartomantes estão fora de moda”.
Que cara inconformado! Sugeri que ele ouvisse Bach, o gênio que criou Deus à imagem e semelhança de sua música. “Não tenho paciência para música clássica”, me disse. “Mas Bach não é clássico, é barroco". “Dá no mesmo.”
Ora, se o cristão não ouve Bach, como pode sair por aí falando em nome de Deus? “Prefiro ouvir o pastorda minha igreja”, rebateu de imediato uma amiga minha, santa mulher, que só usa saias abaixo dos joelhos e não depila as axilas.  E eu que não sabia que os pelos do corpo tinham a ver com Deus! “O pastor é músico também?” , perguntei na minha inocência. Minha amiga se irritou francamente: “Você é um ateu!”
Ateu, eu? No, non, nichts, ni un poquito. Tenho ótimas relações com Deus, com o Espírito Santo, com Jesus Cristo, com toda a família. 
Por exemplo: nunca proclamo seu santo nome em vão. Agora essa conversa de sair por aí dizendo que Deus manda e desmanda, que assevera e pune, que sabe o que está em seus pensamentos tanto quanto em sua conta bancária é conversa para assustar criancinhas. E tem mais: ele não se importa de sair do paraíso e aterrissar (isso é modo de dizer) nas páginas de minhas histórias. Afinal, Deus passa o tempo aconselhando os anjos, a quem delegou a lida diária com os problemas humanos.
Por exemplo, o sujeito vai a mil pela estrada, erra a curva e acaba debaixo de um caminhão. O anjo Gabriel se prepara para descer em socorro. “Mas se o cabeça dura tiver um longo histórico de imprudências – adverte o Senhor –, deixe-o morrer!”. 
E tem outra amiga que mandou estampar no vidro traseiro do carro: “Propriedade de Deus”. Esta semana, ela chegou para mim, indignada: “Alguém arranhou me carro! Sem o que fazer!” “O carro é de Deus, mulher – tive a infelicidade de lembrar -, ele não dá importância a essas coisas.” Perdi a amiga.
Fui me consolar no Facebook e lá encontrei esta pérola: “Deus só escolhe os fortes.” Que fraqueza levou alguém a erigir tal monumento à arrogância? Decidi passar a história a limpo com Deus.  “Um pastor pode devorar as próprias ovelhas ou deve  deixá-las aos lobos?”, tomei a liberdade de Lhe perguntar, afinal, somos amigos. “Por que você não procura o Afrânio”, foi a resposta de Deus.



Corri para encontrar o Afrânio, afinal faltavam poucas linhas para terminar a crônica. Ele me mandou além, na "Igreja do Evangelho Bipolar, onde o pastor de dia é Deus e de noite é o Diabo". Para o Afrânio, “Esse pastor conhece o caminho das pedras, começou com menos de dez, hoje tem quase quinhentos fiéis. Se todos vierem comprar em minha loja, saio da crise". “Vou dispensar, mas que Deus o abençoe”.
Que Deus abençoe a todos, aos crentes e aos descrentes, aos fortes e aos fracos, aos amigos e inimigos, aos ricos e aos pobres, aos que traem e aos que são traídos. Dê-lhes saúde, pague suas contas, eduque seus filhos e livre-os do mal, amém.
Agora, com licença, tenho que atender à porta. Deus se cansou mais uma vez das arengas dos anjos e veio falar comigo. Algum pedido?
© 
Abrão Brito Lacerda



Um comentário:

  1. Deus está em todos os lugares ou em lugar nenhum, depende apenas do indivíduo.

    ResponderExcluir

Gostaria de deixar um comentário?